da Bahia para o Mundo
  • pt-br
  • en

Construção conjunta pautada pelo diálogo

Unificação de projetos entre Veracel e Fibria em uma única plataforma marca o avanço das iniciativas envolvendo movimentos dos trabalhadores sem-terra no território.

A questão agrária é uma problemática histórica no Brasil, que desafia diversos atores nos conflitos pelo uso e ocupação da terra. Para a Veracel é um tema sensível e prioritário. Por isso, além do manejo sustentável de nossas florestas e da gestão da paisagem, nossa atuação é direcionada principalmente ao diálogo e à construção conjunta de soluções viáveis para o uso da terra a partir de uma agenda comum para o desenvolvimento socioeconômico das comunidades.

Temos empreendido esforços no projeto de assentamentos sustentáveis, que ganhou reforço em 2017 ao unir as iniciativas da Fibria, nosso acionista, numa plataforma única de apoio à agricultura familiar entre quatro movimentos sociais de trabalhadores sem-terra, envolvendo mais de 1.100 famílias.

 

União de esforços em busca de transformação social

O projeto Assentamentos Agroecológicos Sustentáveis teve início em 2012, a partir de um acordo entre a Veracel, o governo do Estado da Bahia, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e seis movimentos sociais. Nasceu da necessidade de criação de um canal de diálogo com movimentos como caminho para solucionar conflitos relacionados à ocupação de terras da empresa entre 2008 e 2011. Conta com apoio técnico da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq/USP), na condução de uma série de atividades, que incluem desde diagnósticos até capacitações e articulações de parcerias.

Em 2017, o projeto agregou as iniciativas que também vinham sendo realizadas pela Fibria com movimentos sociais na Bahia e está formando uma plataforma única e integrada. “Essa união de esforços é fundamental para posicionar o projeto no território, fortalecendo esse arranjo institucional inédito, trazendo mais robustez à governança”, afirma o coordenador técnico-científico do projeto, João Dagoberto dos Santos, da Esalq/USP. O principal objetivo dessa iniciativa, agora unificada, é promover a transformação social do território, em um planejamento de longo prazo, a partir de atividades nos eixos de agricultura familiar, educação e saúde.

 

O projeto de assentamentos sustentáveis

Para direcionar as atividades do Projeto de Assentamentos Agroecológicos Sustentáveis, foram realizados diagnósticos socioambientais das famílias envolvidas para determinar o perfil produtivo dos assentamentos e levantar as cadeias de custódia de produtos agropecuários na região, como subsídios para a modelagem produtiva dos novos assentamentos. O projeto também contempla a formação de agricultores, planejamento participativo-produtivo, estratégias de uso e ocupação do solo e de adequação ambiental, além do eixo de alfabetização (veja mais sobre as atividades desse eixo no capítulo Qualidade do Ensino).

 

 

Em 2017, além da continuidade das atividades de capacitação de agricultores e planejamento participativo-produtivo, as etapas de planejamento ambiental deram sequência com ações de organização e parcelamento de áreas ocupadas, quando 70 famílias deixaram os acampamentos e foram instaladas em fazendas.

 

 

VOLTAR AO TOPO

Qual a sua opinião sobre o relatório?(Clique e responda à pesquisa)